Notícia - Todas
16/05/2018 - 15:39
Mulheres no Futebol - Semana dos Museus

De 14 a 20 de maio, por ocasião da 16ª Semana Nacional de Museus, temporada cultural promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus – Ibram, o Museu do Grêmio oferece benefícios especiais para sócios e torcedores. Excepcionalmente na data, diz Sibelle, sócios do Grêmio estarão isentos do ingresso, podendo ingressar no espaço com a carteira de sócio e documento de identidade. O público em geral pagará a metade do valor, R$ 8. O local abrirá das 9h30 às 17h30.

Entre as atrações do Museu do Grêmio está a exposição Soy Loco por Tri, que conta a taça do tricampeonato da Libertadores, camisas, faixas, além de itens doados pelos atletas ao Museu, constituindo uma retrospectiva das três conquistas da América. Os visitantes também poderão conferir as taças do pentacampeonato da Copa do Brasil, da Recopa Sul-Americana e do Campeonato Gaúcho, conquistada no último mês.

DANIELA COORDENA AÇÕES NO MUSEU DO INTER

 

Créditos Imagem: César Caramês

A museóloga Daniela Amaral, 44 anos, Coordenadora Geral do Museu do Inter, está à frente de parte do que diz respeito à memória do clube, “respondo diretamente pela administração do Museu, pela coordenação das ações, gestão de pessoas, projetos culturais, eventos e toda a parte técnica que exige uma instituição que retrata a memória coletiva de uma parte da sociedade”. Ela diz da importância das pessoas visitarem não só Museu do Inter como também os demais museus de futebol do país, “pois estes são espaços que retratam não somente a história dos clubes de futebol, mas sua ligação com a sociedade; desde os contextos sociais em que surgiram e se consolidaram, até o processo de transformação dos espaços urbanos dos quais os clubes invariavelmente fizeram parte”. O Museu do Inter conta com uma média de 4.050 visitantes por mês.

GURIA BOLEIRA – Tens formação em Museologia e História da Arte? Como surgiu o interesse pelo trabalho no futebol? Ou foi acaso?

DANIELA AMARAL – Sou museóloga formada pela UFRGS e tenho formação complementar em História da Arte pela Universidad Autónoma de Madrid. A minha vinda para o Museu do Inter foi devido à experiência que tenho na área museológica. Essa profissão nos propicia desenvolver trabalhos em diversas instituições, tendo como desafio trabalhar universos diferentes de acordo com a tipologia de cada Museu.

GURIA BOLEIRA – Que tipo de cuidado há com o acervo? Para a profissional, qual a 'menina dos olhos' do Museu? E para os visitantes, é o mesmo?

DANIELA – O Museu do Inter possui uma reserva técnica climatizada e equipada com mobiliário adequado para a diversidade de materialidades que comporta o setor de acervo do Museu. Além da estrutura física que é importante, o corpo técnico de nossa instituição conta com profissionais da área, que são fundamentais para dar seguimento à conservação e preservação dos objetos musealizados. Difícil eleger uma peça como a principal dentre tantas materialidades existentes (têxteis, metais, papéis, madeiras, plásticos), mas os títulos internacionais conquistados pelo Sport Club Internacional são os mais significativos para o Museu do Inter e para os seus torcedores.

GURIA BOLEIRA – A história do Inter está toda contada no Museu? Acontece de coisas antigas serem doadas ao clube, por exemplo, quando morre um torcedor fanático que deixa algum acervo que interessa ao clube? Tens uma história para contar sobre isso?

DANIELA – Impossível contar toda a história do SCI no Museu do Inter, são muitas narrativas e recortes realizados sobre uma ótica em determinados períodos históricos. A cada dia, com o grande volume de acervo que possuímos, poderíamos contar novas histórias já que os museus têm uma relação direta com o homem e a sociedade. O Museu do Inter possui uma Comissão de Aquisição e Descarte de acervos, formada por museólogos, historiadores e profissionais de outras áreas que avaliam e selecionam objetos de torcedores ou familiares que desejam doar seus pertences ao clube. O Museu do Inter trabalha de acordo com a missão da instituição seguindo critérios museológicos para a aquisição de acervos relevantes à história do SCI. Muitas vezes recebemos acervos de torcedores desde que se enquadrem nestes critérios. Esses torcedores possuem um laço emocional muito forte com o clube e consequentemente com estes acervos, ocasionando seu retorno ao Museu do Inter para saber dos seus objetos.

GURIA BOLEIRA – Com a reforma do Beira-Rio, como o acervo do Museu foi protegido?

DANIELA – Muitos objetos foram salvaguardados dentro da reserva técnica e outros transferidos para outras áreas do clube.

GURIA BOLEIRA – Sobre a Mostra sobre o futebol feminino no clube... Como surgiu essa ideia? E a visitação?

DANIELA – Contamos com a exposição “A Conquistas do Campo: O Futebol Feminino no S.C.I.”, inaugurada em 18 de maio de 2017. Em quatro módulos, retratamos a trajetória do futebol de mulheres dentro do Sport Club Internacional, abordando suas rupturas e continuidades através da carreira de três atletas icônicas do clube. É uma mostra que surgiu quando se soube da retomada do futebol de mulheres no Inter, como uma forma de homenagear as jogadoras do passado e saudar as novas atletas. Estes módulos fazem parte do espaço expositivo regular do Museu do Inter, sendo possível vê-la dentro dos horários normais de atendimento.

GURIA BOLEIRA – Podes passar um serviço do Museu? Quem quiser visitar, como faz, quanto custa, tem que agendar... esse tipo de informação...

DANIELA – O Museu do Sport Club Internacional – Ruy Tedesco narra através de suas exposições, os mais de 100 anos de história do clube. Além de estrutura moderna que conta com cinema em formato de arquibancada, totens interativos que possibilitam navegar pela história do clube, encontrar documentos históricos da trajetória do Inter, troféus, atas, flâmulas, fotos, vídeos, entrevistas e muito mais. E ainda é possível acessar a Tribuna Sul (com visão panorâmica de todo interior do Estádio Beira-Rio).

TRAJETÓRIA PROFISSIONAL

Antes de chegar no Inter, Daniela começou sua trajetória museológica como bolsista e voluntária no Museu Comunitário da Lomba do Pinheiro, o primeiro deste tipo no Brasil, num bairro de periferia, criado dois meses antes que o Museu da Maré, na comunidade de mesmo nome. Ela trabalhou como mediadora em exposições no Museu da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS e no Palácio Piratini, do Governo gaúcho, participando de ações relacionadas à educação patrimonial e ambiental. Daniela também atuou como técnica e pesquisadora na criação do Acervo Digital do Bar Ocidente, espaço que começou como bar, mas transformou-se entidade de cultura, arte, música, teatro, noites literárias, além de trabalhos relacionados à arqueologia e arqueologia sub-aquática. Foi tutora em EAD da disciplina Acessibilidade em Ambientes Culturais do curso de especialização em Acessibilidade Cultural da UFRJ e museóloga responsável pelo setor de acervo do Museu do Sport Club Ruy Tedesco até agosto de 2017, quando assumiu a Coordenadora Geral do Museu.

VISITAÇÃO

O valor da entrada para visitar o Museu do Inter é de R$ 10,00, mas sócios colorados com a mensalidade em dia são isentos. Daniela explica que há valores especiais para grupos maiores de 10 pessoas, mediante agendamento e que, tem direito a meia-entrada, crianças de seis a 15 anos, estudantes, professores e idosos (+ de 60 anos) mediante apresentação de documento impresso. Além da visitação às exposições, há o Projeto Visita Colo

PATROCINADORES

Telefone: (51) 3214-6000

Telefone: (51) 3214-6000